NEGRO ROM

NEGRO ROM
INICIATIVA QUE RECONHECE A DIFERENÇA

segunda-feira, 30 de março de 2009

Ser Sem Estar

(J.C.Alcantara)

Não diga adeus
Diga até já.
Vi que foste embora,
Mas sei que vais voltar
Sei o que quero
O que não quero um dia saberei.
Maldita hora que nosso amor morreu.
Não tenho pá pra enterrar o que sinto.
E, o que sinto, sei que existe
Pois o sinto.
Grandiosa pequenez do humano.
Você sai pela porta
E eu tento ver se dá para
Ser sem estar.

Mais uma bela poesia de J.C. Alcantara encontrada no livro "Negro Rom" (2005), de Alcantara e Lessa.

2 comentários:

Peu disse...

Esta poesia não é tão boa. Tem algumas sacadas legais, mas, nada tão especial.

El Bailaor disse...

Fala Peu!

Essa foi a semana da singeleza! rsrsrs!

Abração!